Resistir é preciso

Resistir é preciso

17/set/2019

Fala da permacultora Julhiana Costal no movimento Resistir é Preciso no dia 11 de setembro de 2019 no Tuca (PUC, São Paulo, capital).

É de extrema importância tomarmos consciência de que comer é um ato político que fazemos todos os dias, várias vezes.
Também é fundamental entendermos o modelo atual de produção do alimento que chega até nós.
Um modelo baseado na destruição e no capital que não existe nem há 100 anos.
Nós humanos descobrimos a agricultura há mais de 10 mil anos atrás. Vivemos por milênios cultivando alimentos sem veneno, biodiversos, interagindo com os ecossistemas naturais.
O modelo que hoje envenena as pessoas é um produto da guerra. Somos bombardeados e vivemos uma guerra não declarada.
São mais de 7 litros de agrotóxico que cada brasileiro ingere a cada ano.
Esse modelo de produção de alimento mata e se torna insustentável a cada dia mais.
Destrói a mata nativa, polui o solo, o ar, a água, as pessoas.
É mais do que possível alimentar o mundo com comida livre de veneno. quem diz o contrário, desconhece a abundância da terra ou enriquece com a morte alheia.
As maiores mudanças que precisamos fazer para tentar reverter o sistema caótico que estamos vivendo é e será através da agroecologia, do conhecimento ancestral de cuidado com a terra, com as pessoas e animais e com a observação dos que resistem nas frestas do caos.
Apenas assim, teremos uma chance.
Vamos juntos porque somos um.
Resistir sempre foi e será preciso!
Não temos outra escolha.

Julhiana Costal
ArboreSer
instagram.com/arboreser_arboreser/

Publicado por: João Guilherme

Deixe uma resposta